Por Sabrina Raupp >>

Todas as questões referentes às redes sociais ainda não são totalmente analisadas e compreendidas pelas organizações. Mas, uma coisa é certa: a organização não pode fingir que as redes não existem. Não adianta negar, fugir e nem pensar em se esconder. Mesmo não querendo entrar na onda de criar perfis, a empresa deve ter uma política para a utilização de redes sociais.

Em junho, uma enfermeira foi demitida por justa causa após ter postado fotos em que aparecia no ambiente de trabalho no Orkut. O hospital alegou que na foto aparecia a marca da instituição “associada a brincadeiras de baixo nível, não condizentes com o local onde foram batidas”, pois havia comentários de mau gosto feitos pela enfermeira e por outras pessoas. Essa defende que sua demissão foi injusta porque a prática da postagem de fotos era comum entre os funcionários e ela foi a única a sofrer penalidades.

Antes disso, em janeiro deste ano, a filha do presidente Hugo Cháves postou uma foto com a mão cheia de dólares. Essa imagem causou muita indignação entre os venezuelanos, pois as políticas implantadas pelo seu pai dificultam o câmbio da moeda norte-americana no país. Além disso, a oposição ao governo utilizou a imagem como ilustração de como vive a família de Cháves e de como ela é contraditória ao discurso do presidente.

O caso mais recente é o da filha do presidente da Dell, que teve o seu Twitter cancelado após ter publicado uma foto de seu irmão tomando café da manhã dentro do jatinho da família a caminho de Fiji. Essa foto foi parar em um site que critica a vida dos filhos de ricos e famosos. A Dell não comentou sobre o porquê dessa atitude, mas a segurança da família pode ter sido o motivo.

Como podemos ver, estar nas redes sociais não é somente uma iniciativa da empresa – ou da personalidade pública. Essas estão na rede querendo ou não, e nem é necessário ter a sua logo visível. Basta que alguém identifique um ícone na imagem que se relacione com a organização ou personalidade. Por isso, a importância de haver uma política para uso das redes sociais. Embora o termo pareça pesado – há pessoas que podem dizer que o termo “política para o uso de…” é uma forma de repressão – a empresa tem o direito (e o dever) de zelar pela sua imagem, mas deve fazer isso de forma clara e justa. Todos os seus funcionários devem saber que não podem expor a imagem da empresa, seja da sua estrutura ou da sua logo, sem autorização. Assim como pais e filhos devem conversar sobre os prós e contras da exposição nas redes.

Fontes:

Extra Online: http://extra.globo.com/noticias/economia/enfermeira-demitida-por-justa-causa-por-publicar-fotos-da-equipe-em-redes-sociais-5177733.html

http://oglobo.globo.com/mundo/filha-de-chavez-posta-foto-com-mao-cheia-de-dolares-na-internet-3767814

http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/08/filha-de-ceo-da-dell-publica-foto-de-banquete-e-tem-twitter-apagado.html

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...