22
out
2015

A receita de marketing de Jamie Oliver

Por Fernanda Sarate >>

Além de receitas gastronômicas, o chef Jamie Oliver pode nos ensinar, também, algumas dicas de marketing. Confira quatro dicas que podemos aprender com ele.

jamie_oliverO chef Jamie Oliver, além de dicas gastronômicas, também pode nos ensinar algumas receitas de marketing. Internacionalmente reconhecido não apenas por seus livros de receitas e programas de TV, mas também por ser um ativista, sobretudo no que tange a educação alimentar das crianças, Jamie prega que na cozinha se utilize alimentos naturais e orgânicos, em detrimento dos alimentos industrializados e dos fast foods. Entre seus ingredientes para o sucesso estão o carisma, a simplicidade, a adaptabilidade e, certamente, um bom plano de marketing.

Confira quatro dicas de marketing que podemos aprender com ele:

1) Seja transmídia
A marca Jamie Oliver está em livros, programas de rádio, TV, mídias sociais, etc. Em todos os canais, sua marca conta capítulos diferentes de uma mesma história, o discurso está alinhado e complementa-se de acordo com a mídia, aprofundando a experiência do público com a sua marca.

2) Defenda uma causa

O que Kotler e Jamie Oliver têm em comum? Para Kotler, o Marketing 3.0 é o da gestão de valores, é aquele que, além de vender seus produtos, busca tornar o mundo um lugar melhor. Jamie Oliver possui uma fundação por meio da qual realiza diversos projetos com o intuito de promover alimentação mais saudável, sobretudo para o público infantil. Oliver participa (e pressiona) ativamente o projeto britânico de reforma da merenda escolar e é comum vê-lo “brigando” com grandes redes de fast foods (até mesmo o McDonald´s já precisou mudar uma receita, depois das denúncias do chef). Oliver já participou de um TED Talk demonstrando o poder dos alimentos e apresentando o seu projeto contra a obesidade infantil (vídeo acima). Cada vez mais os consumidores valorizam as marcas que, de fato, buscam fazer a diferença na sociedade, que defendem uma causa compatível com o contexto de sua empresa e que procuram minimizar os impactos socioambientais negativos de seus negócios.

3) Descomplique
Se outros chefes abusam de palavras francesas e de expressões mais técnicas, Jamie Oliver optou por simplificar: sua linguagem é coloquial, amigável. Com a internet e os canais on-line, a conversa entre consumidor e marca tende a ficar ainda mais próxima. Amigos falam de forma clara e descomplicada; as marcas, nesse contexto, também. Oliver busca facilitar também a forma de cozinhar, desmistificando-a. Esse pode ser um caminho para muitas marcas, o consumidor quer sentir-se próximo, quer que seu ato de consumo seja descomplicado.

jamie1

Detalhe do restaurante de Oliver em São Paulo.

4) Seja glocal
Jamie Oliver é uma marca global, mas com atitudes locais. Isso se traduz, por exemplo, nas políticas adotadas em sua rede de restaurantes: eles estão presentes em diversos lugares do mundo, entretanto, Oliver conta sempre com parceiros locais para seus negócios, que conhecem o público e negociam com os fornecedores – escolhidos conforme uma série de critérios estipulados pelo chef. Para que marcas globais tenham sucesso, é necessário essa adaptação aos costumes locais, segmentando as ações e produtos quando necessário.

Independentemente de gosto ou de preferência, Jamie Oliver soube posicionar sua marca com consistência e coerência, levando em conta a sua essência e os seus valores. Você conhece algum outro exemplo assim? Compartilhe nos comentários!

Fonte das imagens:

http://ejesa.statig.com.br/bancodeimagens/5i/nv/nh/5invnhhjoz0efop1rn77igd4l.jpg
http://eucomi.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/01/jamie1.jpg
http://www.carolinaaugusta.com.br/wp-content/uploads/2014/06/Jamie_Oliver_Capa.jpg

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Arildo Gomes

    Ótimo artigo! Parabéns e obrigado pelo conteúdo!