Por Aline Alquati

Olá pessoal! Sou a mais nova colaboradora do blog Comunicação e Tendências e ex-colega de faculdade da blogueira Maria Alana. Em meu primeiro post, vou falar de um assunto com o qual tenho grande afinidade pessoal e profissional: comércio eletrônico!

Amanhã é Natal é uma frase clássica de um professor que tive no cursinho, que apavorava os alunos com a proximidade do vestibular. Acredito que muitos de vocês saibam do que estou falando. Por mais estranho que soe, afinal, amanhã ainda é 07 de dezembro, em breve essa frase terá sentido.

A cada ano que passa, tenho a impressão de que as campanhas de Natal começam mais cedo. Até o fim de novembro eu já tinha recebido centenas de e-mails marketing de comércio virtual “me convidando” a antecipar as compras de Natal, com seus descontos arrasadores e condições de pagamento imperdíveis.

Comprar online está se tornando um hábito cada vez mais comum entre os brasileiros. Se questionarmos as pessoas mais próximas, a maioria já comprou online pelo menos uma vez na vida. Pagamento em 12x sem juros, frete grátis, desconto à vista, a praticidade de receber o produto na porta de casa e preços geralmente bem abaixo dos preços de lojas físicas são qualidades tentadoras das lojas virtuais, que estão ganhando espaço entre as preferências de compras dos consumidores.

O Natal é a data mais importante para o comércio no Brasil, representando cerca de 15% das vendas do ano. De acordo com o e-bit, em meados de 2009, a estimativa de aumento de vendas online para o Natal era de 22%, e, na realidade, aumentou 28% em relação ao Natal de 2008, batendo um recorde nas vendas do varejo online. Grande parte deste aumento deve-se ao grande investimento em publicidade online, como links patrocinados e e-mail marketing, e à participação massiva em mídias sociais.

As expectativas para o Natal de 2010 são de um crescimento de pelo menos 30% nas vendas online com relação às vendas de 2009. Para atingir esse número, os e-commerces estão investindo ainda mais e por mais tempo em comunicação, com o intuito de atingir também mais consumidores fora do pico de vendas, que se concentra, geralmente, entre os dias 15 e 17 de dezembro.

E para aqueles que sempre deixam para a última hora, os comércios eletrônicos apostam ainda na “entrega garantida”, entregando os produtos em 48h (alguns em até 24h) após a confirmação do pagamento – para a alegria de nós, brasileiros, que quase sempre chegamos no dia em que dizer “amanhã é Natal” faz sentido sem ter comprado todos os presentes.

Aos e-commerces, continuem anunciando, e aos e-consumidores, boas compras!

*Fontes: E-bit e

www.webshoppers.com.br/webshoppers/WebShoppers22.pdf

.

>> Veja também: Business Intelligence: conheça o cliente para sobreviver no mercado

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...