Por Fernanda Sarate >>

Não, esta não é mais uma desculpa para falar sobre uma de minhas séries preferidas. O universo de Game of Thrones é um excelente case para quem quer ver, na prática, estratégias de storytelling acontecendo. E, claro, assistir a uma excelente série. 😉

game-of-thronesGame of Thrones tem sua trama baseada na série literária Crônicas de Gelo e Fogo, de George R.R. Martin, que traz em seu universo elementos de ficção medieval, histórias de capa e espada e toques sobrenaturais.

Ações para divulgar e ampliar a experiência com a primeira temporada da série.

Ações para divulgar e ampliar a experiência com a primeira temporada da série.

Desde seu lançamento, em 2011, o canal HBO investiu pesado em campanhas promocionais e ações de marketing. O primeiro movimento foi desenvolvido pela empresa Campfire, que já havia participado de ações transmidiáticas para o filme A Bruxa de Blair e a série True Blood. Uma das ações mais bacanas envolveu o lançamento de um jogo online, The Maester’s Path, através do qual o usuário que fosse cumprindo tarefas era recompensado com vídeos exclusivos de cenas que não tinham ainda aparecido na série. Além disso, cartazes com a frase “Winter is coming” foram espalhados por diversas cidades, mais tarde tornando-se meme na internet. Por último, um dos objetos mais representativos da série, o trono de ferro, teve réplicas espalhadas por Nova Iorque, convidando pessoas a tirarem sua foto no trono mais disputado dos últimos tempos.

Para mostrar que sabem mesmo utilizar o marketing de experiência, food trucks ofereceram comidas especiais baseadas na série – sendo que Tom Colicchio, jurado de outra série de sucesso, Top Chef, oferecia receitas inspiradas nas casas de Game of Thrones.

Fãs disputaram a chance de serem tatuados com símbolos da série.

Fãs disputaram a chance de serem tatuados com símbolos da série.

Para a divulgação da segunda temporada, utilizando-se novamente de celebridades, o tatuador Ami James foi convidado a desenhar o símbolo das casas da série em fãs que disputaram e aguardaram durante horas para terem gravadas em suas peles os brasões dos Stark, Lannister, Baratheon, Targaryen ou Greyjoy.

Ações multiplataforma para a terceira temporada.

Ações multiplataforma para a terceira temporada.

E para a terceira temporada, o carro-chefe da divulgação foi o dragão, que apareceu “sobrevoando” páginas do The New York Times e teve sua sombra gigantesca projetada no prédio da HBO. Além disso, um crânio de dragão foi colocado em uma praia do Reino Unido.

Recentemente, para divulgar a quarta temporada no Canadá, foi lançado um aplicativo iRiS Game of Thrones: Conquer the North, que permitiu que os fãs desbloqueassem conteúdos exclusivos, tirassem uma selfie no trono de ferro e declarassem sua lealdade a uma das casas, sendo possível consultar por geolocalização qual a escolha de casas feitas por pessoas próximas.

A narrativa transmídia ou transmedia storytelling está bastante presente no universo da série. São utilizadas diversas plataformas midiáticas que adicionam conteúdos e ajudam a expandir a experiência que os fãs têm com Game of Thrones. Estas ações têm grande potencial de compartilhamento, aprofundam conteúdo, permitem uma imersão no universo da série, isto é, estão de acordo com o que Henry Jenkins apontou como os princípios do transmedia storytelling.

Aproveite que a quarta temporada acabou de começar e estude transmedia storytelling e comunicação integrada de marketing com Game of Thrones. Para descontrair, leia o post do Marketing Technology Insights, Why Marketing Is a Lot Like Game of Thrones [SPOILERS] e descubra algumas semelhanças entre o mundo do marketing e a série.

Fontes:

http://www.adnews.com.br/

http://www.tor.com/

www.chicagonow.com

https://hbo.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...