27
set
2010

Branding yourself: melhore a sua marca pessoal!

[tweetmeme]

Por Sabrina Raupp Souza

Discutimos muito sobre a concorrência entre empresas, que os mercados estão cheios de empresas que produzem os mesmos tipos de produtos, que oferecem os mesmos tipos de serviços, e que precisam de diferenciais para atrair a atenção e conquistar o consumidor.

Porém, há um prestador de serviços que quase sempre esquecemos de mencionar: nós mesmos. Independente da profissão, o mercado de trabalho está ficando superlotado de profissionais. Em muitos ramos, há mais profissionais que vagas. Nestes casos, o profissional deve ter “o tal diferencial” para se destacar perante os outros. Por isso, dou a dica: Brand yourself!!!

Brand é o esforço de construção e gerenciamento de uma marca com vistas ao fortalecimento dela. Conhecer o público de interesse e o produto ou o serviço que vão levar a marca consigo é fundamental para escolher os elementos e as cores que irão representá-los.

Uma marca forte é aquela que é mais valiosa do que o próprio produto. E, se marca é o conjunto de atributos tangíveis e intangíveis representados por um logo, com o objetivo de gerar valor, podemos nos tornar como marcas. Quer dizer, nós agimos, nos comportamos e nos vestimos de forma a causar uma boa impressão, tentamos fazer com que os outros nos percebam de forma positiva. Bom, pelo menos, creio que a maioria aja assim.

Então, se você quer criar a sua marca pessoal ou fortalecê-la, seja para se firmar no mercado, ser reconhecido, elevar a posição… Brand yourself!

Para começar, pense um pouco nas seguintes questões:

  • Como você quer ser reconhecido?
  • Quais são as suas qualidades?
  • E o seu estilo, qual é?
  • Quem é seu público de interesse?

A partir do momento que você decidir investir na sua marca, ela deve ser preservada no seu perfil do Orkut, no Twitter, Facebook, Linkedin…. enfim, em todas as mídias sociais que está cadastrado. A não ser que você utilize nomes diferentes para as páginas do seu ciclo de contatos pessoais e profissionais. Falo isso porque as organizações utilizam essas mídias para analisar o perfil dos candidatos. Isso é fato.

Por isso, vale sempre lembrar que:

  • assim como na construção da marca de um produto ou serviço, quando você estiver construindo a sua marca, seja honesto. Mentiras sinceras só são cantadas, na vida real, elas pegam mal;
  • como disse Hanry Ford, não se pode criar uma reputação sobre aquilo que você ainda vai fazer – só mencione aquilo que já fez ou está fazendo. Se achar importante mencionar seus planos futuros, deixe claro que são futuros;
  • as palavras têm poder. Cuide como irá se expressar. Achei um ótimo exemplo para isso: ao invés de dizer que um diamante é inquebrável, você pode dizer que ele é para sempre;
  • não seja arrogante ou presunçoso – narcisismo, nem pensar!

Por muitas vezes, os próprios comunicólogos esquecem-se de cuidar da própria imagem, de gerenciar a própria marca. Por isso, esse mês resolvi falar sobre brand yourself. Quero mostrar que em casa de ferreiro o espeto tem que ser de ferro, e que santo de casa faz milagre sim!

Bom pessoal, esse é o recado que deixo pra você (e pra mim mesma). Até mais.

.

Veja também: Uma nova forma de gerenciar a carreira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...