27
fev
2015

Causa e Efeito ou Espinha de Peixe?

Por Renata Gueresi >>

No meu post “Como está sua mesa de trabalho hoje?” falei sobre os 5S, uma ótima ferramenta da Qualidade que nos auxilia a organizar o ambiente de trabalho ou até mesmo a nossa casa. Dessa forma, hoje quero lhes apresentar outra ferramenta: o DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO ou, como também é conhecido, o DIAGRAMA ESPINHA DE PEIXE.

Essa ferramenta da Qualidade foi desenvolvida por Kaoru Ishikawa, da Universidade de Tóquio, em 1943, que também deu outro nome: Diagrama de Ishikawa. Kaoru usou o diagrama para poder explicar a um grupo de engenheiros como vários fatores podem ser ordenados e relacionados. Com isso, ele provou que 95% dos problemas poderiam ser resolvidos com ela.

Então, vamos às apresentações formais. O Diagrama de Causa e Efeito permite a identificação, a exploração e a exibição gráfica, com detalhes, de todas as causas possíveis de um problema para assim descobrirmos sua causa-raiz e podermos resolver esse problema ou ainda descobrirmos oportunidades de melhoria para um determinado produto, serviço ou processo. Conforme Fernando Banas “Um diagrama de causa e efeito bem detalhado tomará a forma de uma espinha de peixe. Daí o nome alternativo de ‘Diagrama espinha de peixe’.” (2010, p. 220).

Como se faz o Diagrama de Causa e Efeito? Primeiro, em uma folha de papel grande ou até mesmo em um arquivo no computador, desenhe uma espinha de peixe assim:

Causa e efeito ou espinha de peixe?

Efeito: aqui neste item se descreve o problema.

Categoria: é colocada acima de cada uma das flechas inclinadas, pois representa os principais grupos de fatores relacionados com o efeito.

Causas: são colocadas abaixo de cada categoria, por meio de uma flecha horizontal. Elas podem contribuir com o efeito.

Veja um exemplo de um Diagrama de Causa e Efeito:

Diagrama de Causa e Efeito

Para chegar a estas causas e categorias é necessário um brainstorming (tempestade de ideias) com a equipe, pois assim todos os envolvidos participarão da construção do diagrama e o problema poderá ser visto sob vários pontos.

Então, para cada causa lembre-se de se fazer as seguintes perguntas: “Por que isto acontece?” e “O que poderia acontecer?”. Assim, ao final da discussão você poderá enxergar de forma mais clara o problema e quais são as suas causas, podendo, dessa forma, desenvolver ações para a correção desse problema e, também, ações preventivas para que isso não volte a se repetir. Essa prática traz conhecimento, integração do grupo, discussão sobre os problemas e estimula a criatividade entre as pessoas envolvidas na análise.

Referência:

BANAS, Fernando. Construindo um sistema de gestão da qualidade. São Paulo: Epse Editora, 2010.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...