24
jul
2014

Como a Era Digital muda a nossa vida em 10 questões

Por Tauana Jeffman >>

Sabe aqueles livros que lemos em um fim de semana? As 10 Questões Essenciais da Era Digital é um deles. Hoje o post é uma dica de leitura para quem se interessa por essa era, mas também em Comunicação, Internet, Sociedade e afins.

Como a Era Digital muda a nossa vida em 10 questõesDouglas Rushkoff é categórico: devemos aprender programação, porque ou programamos ou somos programados. No livro, o autor apresenta afirmações intensas. Rushkoff (2010, p. 8) acredita que “computadores e redes são mais do que meras ferramentas: eles próprios são seres vivos. Ao contrário de um martelo, uma caneta, ou mesmo uma marreta, uma tecnologia digital é programada”, afirmando ainda que tais tecnologias moldarão o nosso mundo. Para o autor, se faz necessário que tomemos o controle e o gerenciamento dos programas e das redes, ou essas tecnologias acabarão nos moldando.

Recheado de “afirmações bombásticas”, esse simpático e fininho livro apresenta 10 Questões Essenciais da Era Digital. São elas:

1) Tempo: apesar da tecnologia ser atemporal, nós não somos. Não conseguimos (e nem deveríamos) ficar “sempre ligados!”. O Ministério da Saúde adverte: ficar online pode ser prejudicial.

2) Lugar: com certeza você deve conhecer alguém que só sai pra tirar uma foto pra postar no Facebook. Ou alguém que, ao invés de aproveitar a festa, fica mexendo no celular. Essas são as pessoas que estão em toda a parte, mas ao mesmo tempo, em lugar nenhum.

3) Escolha: nós não temos que optar entre o sim e o não. Temos também a opção de não escolher.

4) Complexidade: a tecnologia facilita a nossa vida (e quem não gosta disso). Mas isso também acarreta uma preguiça excessiva. Não pensamos, não analisamos, pesquisamos superficialmente e quanto mais “emburrecemos” mais a tecnologia se complexifica. Imagina onde isso vai dar? Bueno, quem diz isso é o autor.

5) Escala: na internet, não existe tamanho único. Tudo é escalável.

6) Identidade: mostrar quem somos na rede é dar a cara à tapa, é arriscar-se, é responsabilizar-se por aquilo que fazemos, dizemos e escrevemos. E quem não gosta de se arriscar, que vá jogar cartas (com um pseudônimo).

7) Social: aqui o autor faz um pedido: “não venda os seus amigos”. Lembra que a rede é social, e que as marcas precisam lembrar disso.

8) Fato: só os fatos sobrevivem na Era Digital. A mentira nunca teve a perna tão curta.

9) Abertura: isso nos lembra que as redes sociais são inclinadas para a abertura e o compartilhamento, e este, por sua vez, é a questão essencial da Era Digital. Ou seja, entre todas as questão, a essencial, a principal, é o compartilhamento.

10) Propósito: o autor finaliza do modo que começou, ou seja: programe ou será programado.

Ficou interessado? Assista ao booktrailer produzido pela Saraiva.

You need to a flashplayer enabled browser to view this YouTube video

Ficou com dúvida?

Nos links abaixo você encontra duas resenhas publicadas em revistas científicas.

http://www.hipertextus.net/volume8/09-Hipertextus-Vol8-Acir-Mario-Karwoski.pdf

http://www.insite.pro.br/2013/Novembro/resenha_questoes_essenciais.pdf

Ficou empolgado? Bora ler!

Fonte da imagem: http://frequenciacultural.files.wordpress.com/2012/05/525602_3153062624743_89960476_n.jpg

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...