Por Andressa Carrasqueira >>

Para quem já leu a parte 1 do post, confira a continuação abaixo!

4 – Pense bem na sua oferta. Tem gente que só faz promoção quando a casa está às moscas. Locadora que dá um filme de graça se você alugar de segunda a quarta, ou hotel de praia que abaixa o preço no inverno. Tudo isso é válido. Mas promoção de sucesso, que pega a concorrência de jeito, é aquela que tem o que todo mundo quer, quando todo mundo está interessado. Pensa só: você compraria 70% de desconto em filmes de segunda a quarta, ou 70% Off em filmes para qualquer dia da semana? Ok, se seu problema de marketing é que você fica vazio de segunda a quarta, porque no final de semana está tudo alugado, entendo. Mas uma oferta restritiva não aumenta sua fatia de mercado, pois uma promoção não é capaz de mudar um hábito de consumo. Então se você quer trazer muita gente nova para o seu estabelecimento, pense grande. Faça uma oferta do seu melhor produto, com o menor preço que você puder, por até 48h no ar. Quem comprou, comprou, que não comprou, já era. A diferença da compra coletiva é justamente essa. É só aquele período, não vai voltar mais. Assim você capta o maior número possível de novos clientes, deixa alguns antigos felizes porque compraram mais barato, tem a oportunidade de fidelizar todo mundo e não desgasta sua marca, porque ninguém sabe quando o dono vai ficar maluco de novo. Então, a “receita” para montar uma boa oferta é: o que você tiver de melhor, sem restrições, com o menor preço possível, e apenas uma vez. Tem gente que anuncia a torto e a direito em sites de compra coletiva. Isso só desgasta a marca, pois nenhum cliente que vê o estabelecimento com ofertas toda hora vai querer pagar o preço cheio de novo. Pense nisso.

5 – Montou sua oferta, escolheu o site, fique de olho. Se estruturar para atender aos usuários de compras coletivas é o maior desafio de um empreendedor. Isso porque muitos não enxergam que o que está sendo feito é um investimento em marketing. Uma pessoa que compra um cupom e é mal atendida = dinheiro jogado no lixo. Uma reclamação no Facebook ou no Reclame Aqui = dinheiro incinerado e reputação abalada. Este cliente é fruto do seu investimento. É preciso passar isso para sua equipe de atendimento. Crie outras promoções no local, ou cartões fidelidade, de forma que este consumidor seja incentivado a voltar. Ele vai sair feliz e contando para todo mundo. E vai ter gente triste porque perdeu a promoção. A partir deste momento é iniciada uma onda de recomendações que trazem benefícios para a marca, tangíveis e intangíveis. Pense numa nova oferta quando a validade desta acabar, e nunca, nunca mesmo, se comprometa em atender mais gente do que você é capaz. Isso gera insatisfação e o tiro acaba saindo pela culatra.

Existem outras dicas para o sucesso nas compras coletivas, mas o mais importante é entender que elas são apenas uma ferramenta, que deverá fazer parte de uma estratégia, englobando outras ações, de forma a solucionar um problema de marketing. Esta é a forma mais saudável de sua empresa tratar esta questão, sem perder valor para seus consumidores ou entrar numa guerra de preços eterna com a concorrência. Contudo, existem situações não tão ideais, como as que mostramos acima, e para isso que nós, profissionais de comunicação, estamos aqui =)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...