14
jul
2016

A Comunicação aliada à Responsabilidade Social

Guest post por Larissa Souza da Costa >>

Inúmeras mudanças vêm acontecendo na esfera organizacional nos últimos anos. Entre tantas tendências, uma merece destaque: a Responsabilidade Social invadiu o ambiente corporativo, deixando de ser premissa apenas do Estado.

A Comunicação aliada à Responsabilidade Social
Ações que vão desde a conservação do meio ambiente, passando por áreas de Saúde, Economia, Educação, Projetos Cultura e outras, respeitando a diversidade e minimizando as desigualdades e os impactos ambientais.

As organizações incorporaram aos seus valores questões que beneficiam o desenvolvimento da sociedade. Hoje, além da rentabilidade, a adoção de padrões éticos que valorizam as relações entre a empresa e o meio no qual está inserida faz parte da postura de uma boa gestão do negócio. As empresas passam, então, a considerar as responsabilidades do impacto de suas atividades a médio e a longo prazo, para o meio ambiente onde está sediada e para os seus diversos stakeholders.

A responsabilidade social deve ser construída sob dois vieses: o interno e o externo. O papel da Comunicação se faz fundamental nos resultados da construção da reputação da empresa perante a sociedade: investe-se em uma comunicação transparente, adaptada às expectativas de cada um de seus públicos de interação, mostrando ser engajada na busca por soluções para problemas que afetam o seu meio. O objetivo, segundo Melo Neto e Fróes (1999, p. 32).

Assegurar o desempenho ético correto e o desempenho ambiental adequado da empresa, melhorar a qualidade de vida de seus funcionários e dependentes, usar o poder e a realização da empresa com seus fornecedores e concorrentes para mobilizá-los a serem socialmente responsáveis (por exemplo, não comprar de nenhum fornecedor que usa trabalho infantil), implementar normas de respeito ao consumidor e mobilizá-lo para atos de solidariedade, utilizar todos os espaços de comunicação para transmitir valores e informações de interesse da comunidade, etc.

Diante destas responsabilidades, ao destinar recursos financeiros e humanos para a prática de ações sustentáveis e sociais, as organizações atraem para si o respeito e referências positivas na sociedade, gerando oportunidade competitivas perante seus concorrentes, redução de custos, melhor relacionamento com as partes interessadas, menor vulnerabilidade de riscos ao negócio.

Ser responsável socialmente passar a não ser somente cumprimento de obrigações legais, mas também uma questão de equilíbrio social e ambiental na busca pela sua sobrevivência no mercado.

Referência:

MELO NETO, F. P. de e FRÓES, C. Responsabilidade Social & Cidadania Empresarial. Rio de Janeiro: Qualitymark Editora, 1999.

Larissa Souza da Costa>> Larissa Souza da Costa, 27 anos, belorizontina, relações públicas por vocação e formação. Graduada em Comunicação Integrada – Ênfase em Relações Públicas pela PUC/MG, atua na área de Comunicação e Marketing há mais de 5 anos e é, atualmente, responsável pelo Marketing na Drive A.

 

 

 

 

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...