Por Fabrício Nunes

O velho ritual de pesquisar vagas em jornais e agências de emprego ainda vale, mas a agilidade da rede e sua capacidade de conectar pessoas de diferentes lugares fazem da Internet uma terra de oportunidade para quem procura ou oferece trabalho.

Dia após dia, as empresas de recursos humanos e os departamentos de RH de grandes empresas aterrissam no universo das redes sociais, divulgando vagas e processos de seleção. Mas antes mesmo de enviar o seu currículo ou aderir a um recrutamento on-line, você deve tomar alguns cuidados, pois, alguns de seus comportamentos nas Redes Sociais podem lhe deixar mais longe daquele emprego tão sonhado.

QUAL É O SEU SLOGAN?

A construção da imagem pessoal

Se você fosse um produto, que frase o definiria melhor? Essa pergunta pode soar estranha, mas pode ocorrer na entrevista de emprego mais próxima. Qualquer profissional de RH um pouco mais atualizado tem como buscar seu nome no Google ou nas redes de relacionamento. Então, por que você não começa fazendo esse exercício e analisando os resultados de busca e das redes sociais?

Eu tenho muitos homônimos. Ok, esta uma é possibilidade recorrente e eu posso lhe dizer uma coisa acerca disso: eles produzem mais conteúdo do que você. Bom ou ruim, mas produzem.

Experimente outras buscas:

Seu nome + sua área de interesse. Ex: Patrícia Moura * mídias sociais

Sua área de interesse. Ex: “agência de mídias sociais” ou “agência * mídias sociais”

SMO DE SI MESMO: A CONSTRUÇÃO DE CONTEÚDO RELEVANTE

O termo Social Media Optimization corresponde a um conjunto de técnicas para gerar publicidade através das plataformas sociais. O foco está em direcionar o tráfego a partir de outras fontes que não os mecanismos de busca.

Mas que raios isto quer dizer? Que produzir conteúdo sobre a área de interesse é uma boa técnica, principalmente divulgando o seu nome e gerando links para o seu site pessoal ou principal rede social.

Por exemplo: suba para uma rede de conteúdo (ScribdSlideshareIssuu, entre outras) o seu TCC ou uma apresentação que tenha feito sobre a área, deixando claro seu nome, data de apresentação e seus contatos. Não esqueça de taggear tudo usando as palavras-chave correspondentes.

Preciso criar um blog para conseguir um emprego? Não. Sou o exemplo vivo disso: colaboro com alguns blogs, mas nunca tive um blog pessoal para me ajudar na carreira. Comecei a divulgar minha monografia em comunidades, redes sociais, por e-mail e em fóruns onde as pessoas se interessavam pelo assunto.

SEU PERFIL DEPÕE SOBRE VOCÊ: POSICIONAMENTO EM REDES SOCIAIS

Você, certamente, está no OrkutFacebookTwitter e outras redes de relacionamento para estar lendo este texto. Mais uma dica: faça uma análise fria do seu perfil, fotos compartilhadas e comunidades onde interage.

Seu posicionamento pessoal é muito importante (quase branding!). Portanto, remova comunidades como “Eu odeio trabalhar” ou fotos da choppada em que você aparece trêbado. Frases de ódio, preconceito ou qualquer coisa que possa denegri-lo também não devem fazer parte dos seus comentários ou tweets. Trancar o perfil não vai ajudar na sua vida profissional, já que qualquer criança de 5 anos consegue dar um print na sua frase infeliz e passar adiante.

Experimente:

Redes de negócios: criar um perfil no LinkedIn ou rede profissional semelhante, como o Via6.

Redes de nicho: pesquise fóruns e redes no Ning que tenham relação com a sua área de interesse e mantenha-se ativo.

Moço, me dá uma oportunidade! (Contato com empresas ou gestores): aqui sim vale uma regra de ouro: não seja intrusivo! Mas também não deixe de dizer a que veio. Mandar 5 replies para o Eike Batista pedindo emprego não vai lhe ajudar em nada, mas enviar um link sobre um projeto inovador talvez adiante.

.

Veja também: Empresas usam Orkut, Facebook, Twitter e blogs como ferramentas corporativas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...