Por Maria Alana Brinker >>

Embora muitas pessoas ainda não tenham familiaridade com o termo crowdsourcing, ele vem sendo cada vez mais utilizado no mundo todo, e seu ideal está se popularizando.

Segundo a Wikipédia, crowdsourcing é um modelo de produção que utiliza a inteligência e os conhecimentos coletivos e voluntários espalhados pela internet para resolver problemas, criar conteúdo e soluções ou desenvolver novas tecnologias.

O fenômeno, se assim posso chamar, é visto também como uma possibilidade, para muitos, de realizar projetos e sonhos apenas com a boa vontade e a cooperação de pessoas que não necessariamente conhecem o idealizador, mas se identificam e / ou simpatizam com sua causa, problema, sonho etc.

A tecnologia abriu muitas possibilidades para que a criatividade, a vontade e o interesse em ajudar / colaborar se encontrassem. Embora o crowdsourcing esteja mais presente em meios como o da Comunicação e o musical, está se espalhando rapidamente por outras áreas (veja os exemplos abaixo). Isto significa que o consumo colaborativo pode estar nos direcionando para um novo modelo econômico, em que o fator financeiro já não é mais o limitante para a concretização de objetivos.

No crowdsourcing, a internet é usada como facilitador para todo tipo de negócio: financiar documentos independentes, ajudar a desenvolver produtos, criar campanhas publicitárias e, inclusive, fornecer crédito para microempreendedores.

Ainda não ficou claro para você o que é o crowdsoursing? Então veja alguns exemplos:

  • ideias.me: empresa brasileira que tem feito um ótimo trabalho para ajudar empresas a resolver seus problemas.
  • istockphoto.com: o sistema armazena milhões de fotos de milhares de fotógrafos. Hoje não é preciso contratar um fotógrafo. Basta entrar no site, pesquisar e comprar a foto.
  • Netflix: uma locadora  nos EUA que aluga filmes pela internet. Anunciaram o prêmio de 1 milhão de dollares para qualquer pessoa que elaborar um algorítmo de recomendação pelo menos 10% melhor que o atual.
  • Fiat Mio: a Fiat lançou recentemente no Brasil uma rede social para seus consumidores poderem opinar e projetar um novo carro conceito.
  • catarse.me – uma plataforma onde é possível cadastrar projetos (qualquer um) para serem financiados.
  • Airbnb – site onde é possível disponibilizar a própria casa para hospedar estrangeiros (o serviço deu tão certo que já está presente em mais de 180 países).

Fontes de pesquisa:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Crowdsourcing

http://www.saiadolugar.com.br/tecnologias/o-que-e-crowdsourcing-explicacao-e-exemplos/

Revista INFO, editora Abril, setembro de 2011, págs. 50 – 57.

Fonte da imagem: loungeempreendedor.blogspot.com

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Rodrigo Cogo

    Estamos sintonizados nesta. Este foi o tema das minhas palestras na Unisinos e na Ulbra neste final de 2011, e também em Aracaju no início do segundo semestre. Vejo os comunicadores bem atentos a esta questão.

    • Bah, Rodrigo, pena eu não ter tido a oportunidade de ir numa das tuas palestras ainda. Tem elas gravadas em algum lugar?

      • Rodrigo Cogo

        Não foram gravadas. Mas teremos outras oportunidades. Tenho dois convites por aí pra 2012. Se rolar mesmo, eu te aviso.

  • Em breve, vamos lançar o site mais vantajoso de consumo colaborativo do Brasil (www.diliwi.com). Por enquanto, você pode visitar o nosso blog para trocarmos umas ideias sobre o assunto (www.diliwi.blogspot.com).

    Abraço,