Por Ana Carolina Escobar >>

Drones são a tecnologia do momento. Várias empresas estão procurando novas formas de aproveitá-los. Governos começam a incluí-los nas mais diversas estratégias de comando, supervisão e controle. No entanto, ao passo que essa onipresente e letal tecnologia cai nas graças do comércio brasileiro, desperta determinadas questões, entre elas a de apropriação e uso distorcido dessa inovação.

Drones_nova tecnologia a nosso favor ou invasão de privacidade

Se você ainda não entendeu bem a funcionalidade desse aparato, pense em um brinquedo voador que não é tripulado, mas manuseado através da tela de um smartphone ou por um controle via rádio próprio. No final da década de 70, esses “robôs voadores” eram de uso exclusivo do serviço militar em missões e vigias, e levavam o nome de VANT (Veículo Aéreo Não Tripulado).

Por possuir diversas utilidades, o drone sofreu aperfeiçoamento no seu mecanismo e certa popularização. Atualmente é utilizado por fotógrafos, cinegrafistas e pelo público geral. No Brasil, os interessados podem comprá-lo pela internet ou em uma loja física, desde que seja para uso recreativo e que o consumidor siga certas determinações. Em suma, a lei brasileira ainda não faz qualquer restrição quanto à compra.

De fato, uma tecnologia revolucionária e que todos gostariam de ter. O problema é que é perturbador. Exemplo disso é o Estados Unidos, que está regulamentando o uso de drones por agentes federais em investigações autorizadas. O Departamento de Justiça do país já afirmou que tentará garantir que não haja abuso de poder dos administradores ao manipular um veículo aéreo não tripulado, mas tentativas nunca asseguraram, de fato, a privacidade de alguém. O risco de o equipamento ser utilizado para fins discriminatórios é existente e não deve ser desconsiderado.

Na Europa, o governo alemão passou a utilizar drones como forma de vigilância contra grafiteiros, o que causou a revolta de alguns moradores que não se sentiram confortáveis com a ideia de passar a conviver com câmeras altamente capacitadas comprometendo suas privacidades.

John Horgan, escritor da Scientific American, alerta para o uso insidioso de drones, pautado em diversos exemplos relacionados às estratégias de guerra americanas. Segundo ele, estamos diante de um evento de evolução tecnológica que pode trazer mais mal do que bem para a sociedade. Portanto, manter-se informado se torna fundamental para desapegarmo-nos da ilusão de que todos os drones são e serão inofensivos e simpáticos como a Lily.

Assista ao vídeo e conheça a Lily:

Fontes:

http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/10/o-que-sao-e-para-que-servem-os-drones-tecnologia-invade-o-espaco-aereo.html

http://info.abril.com.br/noticias/seguranca/2015/05/eua-regulamenta-uso-de-drones-por-agentes-federais.shtml

http://es.engadget.com/2013/05/27/drones-contra-grafiteros-alemania/

http://www2.uol.com.br/sciam/noticias/porque_voce_deve_ter_medo_de_zangoes__muito_medo_.html

https://macmagazine.com.br/2015/05/13/lily-e-o-drone-mais-amigavel-e-talvez-revolucionario-que-ja-vimos/

http://www.novocientista.com/drones-fazem-imagens-incriveis-de-piramides-de-3-000-anos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...