21
mar
2016

E agora, Brasil?

Por Marcela Zini >>

brasil 2Nessas últimas semanas o nosso país está passando por uma crise politica. Turbilhões de escândalos devido ao roubo do dinheiro público, ex-presidente sendo investigado e querendo se tornar ministro para escapar do Tribunal, entre outras coisas. É lamentável ver toda essa corrupção acontecendo em um país totalmente desigual, onde poucos têm direito e muitos têm dever. Nós, brasileiros, bancamos a farra e o luxo desses políticos que teriam o papel de nos defender e buscar o melhor para a população. Infelizmente, isso ainda não acontece, mas acredito que com denúncias e investigações estamos dando um passo importante para o desenvolvimento do nosso país.

Ir para rua se manifestar mostra o cansaço do povo em bancar toda essa corja, mas também não podemos esquecer que o nosso dever como cidadãos é cobrarmos deles e sermos pessoas honestas e que não aderem ao famoso “jeitinho brasileiro”, que gosta de tirar vantagem em tudo, assim como os políticos. Não podemos imitar alguns dos nossos governantes, temos que mostrar que somos diferentes, que queremos ver um Brasil sem desigualdade, onde todos tenham acesso à educação de qualidade, a um sistema de saúde impecável, ao transporte público bom, segurança, emprego, menos impostos, mais acesso à cultura e ao lazer.

Como povo, não podemos nos corromper através da omissão, do abuso ou pelo desvio. A omissão é deixar de fazer, dizer ou escrever algo que deveria ser feito. Ao deixarmos de denunciar o que vemos de errado, deixamos de ajudar quem precisa, deixamos de devolver aquilo que sabemos que não é nosso. O abuso significa excessivo ou injusto uso do poder. A famosa frase de Maquiavel representa muito bem esta palavra: “Aos amigos favores, aos inimigos a lei.” Ou seja, quem tem poder utiliza disso para ter privilégios e dar a quem acha que merece, não se importando com o bem comum e sim com o próprio. Outras formas de abuso são através de frases como “Você sabe com quem está falando?”, “Você tem que me respeitar devido ao meu cargo”, funciona para demarcar diferenças e posições hierárquicas. Desvio é palavra que nós estamos cansados de ouvir, pois é o que muitos políticos e cidadãos fazem com o dinheiro público e privado. Isso acontece quando recursos e funções são desviados por quem administra, beneficiando a ele e prejudicando o resto. É como o funcionário que desvia o patrimônio ou o dinheiro da empresa que trabalha a seu favor, ou o político que dá cargos de confiança para parentes e amigos e desvia dinheiro público para bancar seus luxos, casas, viagens, carros e tantas outras coisas.

E então, vamos continuar deixando que o sistema nos corrompa ou vamos fazer algo para melhorar? Pois a culpa não é só dos políticos, afinal somos nós que elegemos e colocamos eles onde estão, ou seja, também temos uma parcela de culpa nessa história toda. E, para finalizar, vamos ter fé que as palavras da Ministra do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, se cumpram: “O crime não vencerá a justiça, aviso aos navegantes dessas águas turvas de corrupção e das iniquidades, criminosos não passarão. Não passarão sobre a constituição do Brasil”.

Fonte da imagem: http://fentac.org.br/files/imagem/bandeira-not3935-not1284.jpg

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • JOÃO SANTOS SILVA

    MACACO VELHO, NÃO

    PÕE A MÃO EM COMBUCA !

    P RESIDENTE

    M ICHEL TEMER,

    D EU UMA

    B ANANA, PARA A DILMA !

  • JOÃO SANTOS SILVA

    SE UM DIA ME PERGUNTAREM

    COMO É O MEU PAÍS

    NA CERTA RESPONDEREI

    QUE É UMA TERRA FELIZ

    SEM VULCÕES, SEM TERREMOTOS

    SEM PESTES E SEM GUERRA

    NO CÉU UM CRUZEIRO DO SUL

    ALÍ FICA MINHA TERRA !

    ESSE PAÍS TÃO BONITO

    SEM PESTE, SEM GUERRA,

    SEM TERREMOTO E VULÇÃO

    ELE NÃO TEM NADA DISSO

    MAS TEM É MUITO LADRÃO

    NÃO É CUNHA ? NÃO É AÉCIO ?