Por Marina Alano >>

Bate-papo com Filipe Boldo, criador do Grat.es, sobre a nova tendência de mercado que está  fazendo a cabeça de  jovens empresários brasileiros.

O aquecimento do mercado tecnológico, somado à inclusão digital, tem tornado o Brasil, apesar das inúmeras dificuldades socioeconômicas, palco para o surgimento e desenvolvimento de um novo e moderno conceito de empreender que vem tornando-se tendência em diversas partes do mundo: o empreendedorismo digital.

Diante das inúmeras oportunidades geradas com a internet, muitas pessoas optam por largarem seus empregos convencionais e partirem para esse ramo de empreendedorismo. Com o crescimento do e-commerce e a participação cada vez mais ativa dos brasileiros nas mídias sociais, o mercado de startups (termo utilizado para definir empresas inovadoras recém-criadas com baixo custo e com possibilidade de rápida geração de lucros) está aquecido e ampliando o leque para quem deseja abrir seu próprio negócio no país.

As maiores vantagens na criação de uma empresa na web estão na familiaridade com o meio, o custo reduzido do investimento inicial e a menor necessidade de infraestrutura. Um infográfico publicado pela Focus aponta que atualmente o nascimento dessas empresas é constituído por uma ou duas pessoas e somente 20% das startups têm mais de dois envolvidos. Segundo a Focus, a maioria gasta menos que U$ 170 com hardware por mês desenvolvendo aplicativos com custo baixo.

No post de hoje você confere um bate-papo com Filipe Boldo, diretor e fundador da Hyperbolic, empresa catarinense desenvolvedora de aplicativos para web e redes sociais, customização de sistemas e consultoria, e também criador do Grat.es  aplicativo que promove e mensura sorteios no Twitter misturando elementos de compras coletivas.  Um case muito interessante que faz parte deste universo de startups brasileiras.

Comunicação e Tendências: Você poderia explicar para os leitores do Comunicação e Tendências o que é e como surgiu a ideia do Grat.es?
Filipe Boldo: O Grat.es, atualmente, é uma ferramenta para promover campanhas de marketing nas redes sociais. Inicialmente, a ideia nasceu como um site que realizava sorteios pelo Twitter, com vários diferenciais frente aos concorrentes naquele momento, como a possibilidade do usuário precisar executar uma série de regras automaticamente para participar – seguir um novo perfil, tweetar um texto e etc.

O produto nasceu num insight na madrugada e o protótipo funcional foi ao ar um dia depois disso. Tive grande apoio para a divulgação, inclusive de pessoas conhecidas nas redes sociais, como o @Interney e @marcogomes.

Comunicação e Tendências: Como você trabalha a gestão desse modelo de negócio ?
Filipe Boldo: Hoje o Grat.es é um produto da minha empresa, a Hyperbolic, que desenvolve softwares para novas plataformas, como a Web, tablets e celulares. O modelo de negócios do Grat.es é baseado na comercialização da ferramenta para empresas que necessitam de uma solução corporativa e confiável para realização de campanhas de marketing nas redes sociais. O modelo de negócios, inclusive, passou por uma série de testes e é constantemente avaliado. Começamos como um site que realizava sorteios e hoje somos uma ferramenta corporativa e, embora os resultados sejam muito favoráveis para essa abordagem, estamos atentos ao que o mercado nos mostra.

Comunicação e TendênciasNa internet, existe o risco dos serviços virarem commodities e saturarem mais rapidamente do que no mercado off-line. Como você, no papel de empresário, lida com essa realidade e enfrenta a concorrência?
Filipe Boldo: Nosso mercado é uma loucura. O timing é totalmente diferente de tudo que já existiu. Em qualquer indústria, da fase de prototipagem até o lançamento do produto, se passam muitos meses ou anos. No mercado digital, principalmente na Web, tudo acontece mais rápido. Isso é bom, porque podemos testar de forma rápida nosso produto ou funcionalidade no mercado, diferente de um avião ou carro, por exemplo.

Imagino que esse comportamento, a saturação, é só uma consequência dessa agilidade toda, e traz mais vantagens do que desvantagens para o empreendedor.

Frente à concorrência, minha posição é ignorá-los (ou quase) e construir um bom produto. Acredito que usar suas forças para ficar atento à concorrência é a melhor forma de criar um produto medíocre.

Comunicação e TendênciasNós sabemos que a geração Y é umas das grandes criadoras e disseminadoras de inovação.Você acredita que esse modelo de empresas é a tendência dessa nova identidade de profissionais?
Filipe Boldo: É verdade. Nós crescemos, estamos liderando e criando empresas inovadoras. Nós somos multitarefas, gostamos de nos divertir enquanto trabalhamos, não acreditamos em limitações de escolhas. Esse perfil que nossa geração adquiriu é muito propício para a criação de negócios inovadores

Comunicação e TendênciasQual a principal estratégia de marketing utilizada na sua gestão de negócios na web?
Filipe Boldo: Colher leads de vendas através de landing pages, enviar press releases para veículos de comunicação relacionados ao mercado em que atuo, links patrocionados, SEO e outras técnicas são válidas nas Web. Criar um bom produto também é uma forma de conseguir novos usuários organicamente, sem investimentos em publicidade.

Comunicação e TendênciasO que você considera mais importante para quem pretende empreender na Web? Quais suas dicas?
Filipe Boldo: Assim como em qualquer empreitada, o empreendedor que deseja se aventurar na criação de negócios digitais ou startups precisa ter perseverança. Use a vantagem de poder prototipar rapidamente para lançar o seu produto o quanto antes no mercado, mesmo que você tenha que cortar uma série de funcionalidades – os feedbacks dos clientes serão valiosos nessa etapa. Leia sobre Lean Startup. Cerque-se de pessoas boas e seja feliz por trabalhar mais de 8 horas por dia.

Comunicação e TendênciasPra finalizar, como você avalia, de uma maneira geral, esse tipo de empreendedorismo no Brasil em comparação a outros países? Você acredita que este mercado ainda tem campo para expandir?
Filipe Boldo: Muito favorável. Há poucos anos, não tínhamos muitas referências em negócios digitais no Brasil. Hoje, além da chegada de muitos fundos de investimento internacionais, temos um volume maior de empresas de base tecnológica com modelos de negócios comprovados, grandes transações (como a aquisição do Grupo Buscapé pelo Napster), mais espaço na mídia e um ecossistema de verdade se formando. Estamos no caminho certo e andando a passos largos.

A sociedade, através das novas formas de tecnologia, migra para uma realidade de socialização e colaboração muito forte. Os antigos paradigmas de administração estão sendo quebrados dia a dia, planejamentos intermináveis e gestão centralizada cada vez mais perdem espaço. O empreendedorismo digital precisa, acima de tudo, de rapidez e iniciativa. O novo modelo de gestão não exige uma ideia totalmente perfeita. O feedback dos usuários será o seu principal know-how. Vivemos na era do compartilhamento, então lembre-se que além de conhecimento de mercado o empreendedor nunca deve ter medo de arriscar.  Inove sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • Fabiobatistaeu

    Olá Marina, Seu post é muito bom! tem dicas muito importante sobre as sturtups  recentemente escrevi um texto sobre o mesmo assunto, mais com dicas para os envolvidos em startups organizarem a sua mente! http://www.empreendedoruniversitario.com.br/inicio/como-turbinar-sua-startup-em-5-passos/ seria muito bom ter sua opinião por lá!