Por Maria Eduarda Paul >>

Inteligência ou Competência Emocional refere-se a tu4fd39-inteligencia-emocionaldo aquilo que envolve o reconhecimento do ser humano a respeito de suas habilidades e motivações – tanto no que tange o ambiente pessoal como o profissional. É uma forma de comunicação consigo mesmo, a partir da qual o indivíduo desenvolve a capacidade de reconhecer suas formas de reação perante às ações que é exposto no seu dia a dia. A identificação dos pontos fortes e fracos faz parte desse processo e é determinante para a aceitação e tomada de decisão dos indivíduos.

O primeiro e mais importante passo desse processo é conhecer-se por completo. Pode parecer simples, mas acredite, não é. Conhecer a si próprio é entender os próprios valores, sentimentos e posicionamentos. É perceber suas motivações e desejos. É entender sua personalidade: o que você é e o que quer representar. É um processo que exige muita introspecção, atenção e inspiração.

Diariamente, temos a pré-disposição a julgar as atitudes daqueles que nos rodeiam. Temos a tendência a apontar os chamados defeitos – fatores comportamentais que em nosso ponto de vista não são coerentes, não estão de acordo com nossos valores e formas de atuação. A empatia, que significa “colocar-se no lugar do outro” é o segundo passo do processo de inteligência emocional e também a resposta para trabalhar um vício tão ruim para nós mesmos. Vivemos e trabalhamos em sociedade, onde um depende do outro, onde união e cooperação andam juntas para a obtenção de bons resultados. Em um mundo de diferenças, o julgamento e falta de respeito são fatores que não devem estar presentes.

Temos a inclinação de julgar os erros dos outros e não os nossos próprios erros. Somos suscetíveis a apontar o dedo para os outros e querer mudá-los, sem antes mesmo querer mudar a nós mesmos. Ouvir críticas é mesmo difícil: mexe com o ego e com a consciência. Abala, decepciona, mas, pode também ser o ponto de partida para uma mudança. Saber receber, interpretar e aplicar as críticas faz parte do processo de competência emocional, sendo essencial para o crescimento pessoal e profissional.

Como última, mas não menos importante etapa de inteligência emocional, apontamos a tão comentada comunicação. Saber ouvir e se expressar são peças chaves para o desenvolvimento de relações. Criar contatos, desenvolver ideias junto a terceiros e compartilhar informações devem ser ações comuns no nosso dia a dia. Comunicar é muito mais do que apenas falar: é promover a troca, é transmitir conhecimento, pensamentos e sensações. Comunicar vai além do tangível e remete coerência entre aquilo que se recebe e aquilo que se emite.

O segredo para desenvolver a competência emocional está na dosagem de emoções. Importante é saber administrar as reações. É saber equilibrar a razão e a emoção, o pensar e agir. É trabalhar a si mesmo todos os dias e aceitar que sempre se pode aprender mais.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...