08
ago
2013

Moda e Relações Públicas: o case Galliano

Por Mariana Fernandes >>

Como um escândalo envolvendo um estilista quase abalou a marca Dior.

Moda e Relações Públicas o case GallianoSou apaixonada por moda desde que me conheço como gente, mas nunca tive o interesse em trabalhar na área de criação e design, por isso busquei outras profissões que tivessem as portas abertas para esse mercado. Daí surgiu meu interesse por Relações Publicas e as inúmeras possíveis áreas para se atuar.

A moda sempre viveu (além de lançar tendências) de escândalos e notícias reveladoras sobre o mundo por trás de todo o glamour que o público final enxerga. Um dos casos mais notórios da moda atual foi o problema envolvendo o estilista John Galliano, ex-diretor criativo da Dior. Ele foi responsável por uma nova fase de glórias para a marca que estava com uma imagem envelhecida, com criações criativas, ousadas mas que mantivessem a “alma” da Dior.

Porém, em 2011, uma bomba estourou nas mãos da Maison Dior. John Galliano foi acusado de comportamento anti-semita e agressão verbal contra um casal em um bar parisiense. O estilista foi detido e apesar de ter escapado de uma sentença de prisão, teve que pagar uma multa de 6 mil euros, dar uma quantia simbólica para cada uma das vítimas (esses valores nunca foram revelados), além de ser suspenso e depois demitido da Casa Dior.

Além da nítida atitude prejudicial a sua figura pública, não podemos deixar de pensar também que esse caso tem uma veia econômica. De acordo com estudos da “The Economist”, a Dior chegou a faturar US$29 bilhões em 2010, sendo que Galliano foi o responsável por pouco mais de 4%. Isso nos leva a pensar que apesar de toda a valorização que o estilista trouxe à marca, a Casa Dior teve que demiti-lo para controlar a crise que se agravava a cada dia, com diversas declarações que pipocavam na mídia.

O Financial Times publicou uma frase que define todo o problema:

“The brand is bigger even than Galliano. As an individual he did something wrong but as long as the brand is quick to show to its consumers that this is not behavior they would tolerate, the brand can survive.”

Tradução: A marca é maior até mesmo que Galliano. Como um indivíduo, ele fez algo errado, mas enquanto a marca agir com rapidez para mostrar a seus consumidores que essa atitude não é tolerada por eles, a marca irá sobreviver.

A atitude da Maison Dior foi exatamente essa, em cima de uma estratégia de controle de crise eles agiram com transparência e pulso firme, controlando a crise e livrando a imagem de uma marca de centenas de anos de crises como essa sem grandes danos a seus públicos de interesse.

Fonte da imagem: www.estadao.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...