Por Maria Alana Brinker >>

No início, Henry Ford criou o Fordismo – um processo de produção em massa, fabricando automóveis iguais para todos os consumidores. Depois de entrar em declínio, na década de 70, a General Motors (GM) flexibilizou a produção e o modelo de gestão, produzindo carros de vários tipos e cores. Após essa fase, a indústria conseguiu direcionar e segmentar melhor a produção conforme o gosto dos públicos. Hoje, através da cocriação, o próprio consumidor já participa do desenvolvimento de produtos e serviços, com ideias e sugestões.

O DESAFIO DE COCRIAR

Para André D’Angelo, professor de pós-graduação em Branding da PUCRS e dono da Think Marketing, o grande desafio para as empresas nesse novo processo (de cocriação) é conseguir coordenar a colaboração e saber aproveitar as opiniões dos clientes juntamente com o conhecimento técnico de seus funcionários. Dessa forma, os colaboradores de cocriação podem ser divididos e gerenciados, de acordo com as etapas do processo, em: conceituador, designer, testador, especialista técnico e divulgador.

Ainda, para que tudo isso realmente funcione e colabore para o desenvolvimento de novos produtos e serviços que tenham mais chances de emplacar no mercado, é preciso levar em consideração três fatores: a viabilidade econômica, a viabilidade tecnológica e o desejo do consumidor. Além de estabelecer algumas definições, como:

  • Objetivo: criar, aprimorar, testar, disseminar?
  • “Local”: físico ou virtual?
  • Momento: início, meio ou fim?
  • Matéria-prima: bruta ou lapidada?
  • Prazo: ad infinitum (ilimitado) ou deadline rigoroso?

EMPRESAS QUE UTILIZAM A COCRIAÇÃO

GAFISA – Um exemplo bem legal e atual de cocriação é o Edifício Colaborativo que a Gafisa vai construir: o Eureka. Através de uma página no Facebook, os internautas podem dar ideias do que o prédio deve ter. Veja a página aqui e assista ao comercial promocional abaixo:

 

STARBUCKS – A conhecida rede de cafés desenvolveu o My Starbucks Idea, um projeto interativo que pede a ajuda das pessoas para definir o futuro da empresa. Através do site, qualquer um pode sugerir idéias, votar nas melhores e discutir com outros consumidores as melhores propostas. Leia mais aqui.

Segundo D’Angelo, “o diferencial das empresas no futuro pode estar exatamente na maneira delas saberem obter informações dos consumidores”. E num mercado onde inovar faz toda a diferença, o processo de cocriação é uma tendência muito bem-vinda!

Fonte da imagem: http://rpjr.blogspot.com/2011/01/co-criacao-e-gestao-de-relacionamentos.html

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...