Por Maria Alana Brinker >>

Não é preciso trabalhar com Comunicação ou atendimento ao público para saber quando se está sendo bem atendido.

O que os nordestinos têm a ensinar sobre atendimentoEm uma viagem recente ao Nordeste brasileiro, não pude deixar de notar três características marcantes na maioria das pessoas que atenderam eu e meu namorado em algum tipo de comércio: humildade, prestatividade e alegria. Do estabelecimento mais simples ao mais chique, do vendedor de côco na beira da praia à dona de um restaurante.

No caso dos estabelecimentos maiores eu não sei, mas é quase certo que os vendedores ambulantes não receberam treinamento algum para vender bem. Ou melhor, até receberam: a experiência oferecida pela vida – ao contrário de muitas grandes empresas que precisam pagar consultorias para ensinar a seus funcionários como se deve tratar o cliente.

Para exemplificar melhor o que estou dizendo, coloquei alguns diálogos que tivemos com estas pessoas durante a viagem:

Durante um jantar no hotel

Garçom do hotel – Boa noite. Vocês desejam algo para beber?
Eu – Sim. Dois refrigerantes, por favor.
Garçom do hotel – Vocês trouxeram o cartão do hotel para marcarmos as bebidas? (Era necessário registrar neste cartão, que recebemos no check-in, qualquer consumo que fosse realizado dentro do hotel.)
Eu – Não, esquecemos no quarto.
Garçom do hotel – Então vamos fazer o seguinte: para vocês não precisarem interromper o jantar eu trago as bebidas e depois vocês trazem o cartão para eu registrá-las, ok?! (Detalhe: o garçom falou isso de forma muito simpática, o que evitou nosso constrangimento.)
Eu- Ok! Muito obrigada!

Durante a compra de um ingresso para um show

Eu – Olá. Quanto custa o ingresso para o show da Ivete Sangalo?
Vendedor – Custa X reais.
Eu – E para o show do Olodum?
Vendedor – Esse eu não sei. Mas posso verificar para você. Pera aí, vou ligar para o outro vendedor.
Eu – Olha, eu não tenho certeza que vou levar nem um nem outro ingresso. Não precisa se incomodar.
Vendedor – Não tem problema, não. Eu ligo mesmo assim. Aí vocês já ficam sabendo os preços. (Detalhe: o vendedor foi super prestativo, não ficou nem um pouco irritado por eu dizer que talvez nem compraríamos os ingressos e não se importou em ligar para nos informar os preços corretos.)

Além da alegria e da prestatividade, os nordestinos se mostraram muito humildes e receptivos. Claro que cada região do país tem suas próprias características. Mas essa me chamou a atenção em especial pois já fomos a outros locais que, mesmo sendo regiões turísticas, as pessoas nos atenderam com má vontade. Às vezes até parecia que estavam fazendo um favor em nos vender algo. (Isso já ocorreu com você?)

Como eu já disse, provavelmente a maioria das pessoas que nos atenderam nesta viagem não receberam treinamento algum para lidar com o público, e mesmo assim nos atenderam bem. Isso mostra que o segredo do bom atendimento está nas coisas simples, como num sorriso, na simplicidade e na vontade de trabalhar bem. Para mim, tudo isso junto com a beleza do lugar formam a melhor estratégia de marketing para atrair os turistas.

Fonte da imagem: pt.hereisfree.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  • ludolfo

    Ook, por isto que os nordestinos estao construindo o Brasil veja a arena do gremio e o estadio do inter, pessoas de boa indole ainda bem que o governo abriu os olhos para aquele povo. Parabens a vcs por terem a sensibilidade de captar este sentimento do povo nordestino. Nota dez aos reporter da galera facebook.