Por Rogelia Barbosa >>

Quando o esgotamento profissional ameaça o sucesso na carreiraO estresse pode ser considerado a síndrome dos tempos modernos. Na área da Comunicação, as situações de estresse e esgotamento profissional são bem frequentes devido ao cenário altamente competitivo, exigência cada vez maior e desafios nos relacionamentos interpessoais.

Por isso, além das habilidades técnicas, competências comportamentais como resistência a frustrações tornaram-se imprescindíveis para o sucesso profissional. O Estresse é diário e começa devagar. Reconhecer os estágios e os riscos é essencial para o profissional romper com o círculo vicioso, é o que aponta o estudo realizado por Michael P. Leiter e Christina Maslach e publicado na Revista Mente e Cérebro na edição de Abril de 2015, que o divide em 12 estágios e de forma simplificada. Vale a pena conferir! ;-)

NECESSIDADE DE AUTOAFIRMAÇÃO: desejo de fazer tudo de forma perfeita, medo excessivo de errar ou ambição exagerada na profissão levam à compulsão por desempenho.

DEDICAÇÃO INTENSIFICADA: para fazer jus às expectativas desmedidas, a pessoa intensifica a dedicação e passa a fazer tudo sozinha.

DESCASO COM AS PRÓPRIAS NECESSIDADES: renúncia ao lazer e ao descanso é vista como um ato de heroísmo.

EVITA DEMASIADAMENTE CONFLITOS: a pessoa percebe algo errado, mas não enfrenta a situação temendo deflagrar uma crise. Surgem os primeiros problemas físicos.

REINTERPRETAÇÃO DOS VALORES: isolamento e negação das próprias necessidades modificam a percepção. Amigos e passatempos são desvalorizados. Autoestima é medida pelo trabalho.

NEGAÇÃO DE PROBLEMAS: o profissional torna-se intolerante, julga os outros incapazes, exigentes demais ou indisciplinados.

RECOLHIMENTO: a pessoa se afasta dos outros, parece irritada e sem ânimo. No trabalho limita-se ao estritamente necessário. Muitos recorrem ao abuso do álcool ou às drogas.

MUDANÇAS EVIDENTES DE COMPORTAMENTO: quem era tão dedicado e ativo revela-se amedrontado, tímido e apático. Atribui a culpa ao mundo, mas sente-se cada vez mais inútil.

DESPERSONALIZAÇÃO: desvaloriza a todos e a si próprio, relega necessidades pessoais. Deixa de fazer planos, só pensa no presente e a vida limita-se ao funcionamento mecânico.

VAZIO INTERIOR: sensação de vazio interno é cada vez mais forte. Excede-se na vida sexual, na alimentação e/ou no consumo de drogas e álcool.

DEPRESSÃO: indiferença, desesperança e exaustão. Sintomas dos estados depressivos podem se manifestar, desde a agitação até a apatia. A vida perde o sentido.

SÍNDROME DO ESGOTAMENTO PROFISSIONAL: total colapso físico e psíquico, pensamentos suicidas. É urgente recorrer à ajuda médica e psicológica.

Se você se reconhece em algum desses estágios, está na hora de rever o posicionamento frente a sua carreira, pois manter o equilíbrio emocional, além de ser mais saudável, aumenta as possibilidades do sucesso profissional.

Dicas para manter o equilíbrio pessoal/profissional: cuidar da alimentação, praticar atividades físicas regularmente, reservar momentos de lazer e descontração, autoconhecimento e apropriar-se de sentimentos de paz e bem-estar ajudam a manter o equilíbrio emocional e assim buscar o sucesso na carreira com qualidade de vida.

Fonte: Os 12 estágios do esgotamento profissional foi retirado do texto capa da Edição Abril/2015 da Revista Mente e Cérebro – “No limite do estresse”– página 27. Revista disponível para a venda aqui

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...